A dona da voz

Com apenas 11 anos de idade e repleta de talento, a piracicabana Bebé Salvego é nome forte que figura na cena musical da cidade. Desde cedo imersa no universo da música, a pequena é promessa de sucesso além-fronteiras.

 

Por Isabela Andia

A música está em seu sangue. Não seria pra menos. Nascida e criada em um ambiente regado a muita boa música, a pequena Isabella Salvego de Souza já é grande no que concerne encantar o público com sua voz e arranjos sofisticados. Mais conhecida como Bebé Salvego, tem apenas 11 anos, mas já carrega em sua bagagem o reconhecimento de seu talento. Exemplo disso é que foi uma das mais recentes convidadas a se sentar no famoso sofá do Programa do Jô. Lá, nem o famigerado apresentador escondeu o fascínio por suas habilidades musicais.

Ainda em idade escolar, a pequena cantora já se decidiu: quando crescer, partirá para o lado da música, evidentemente, mas também reservará espaço para a arte da atuação. Com pai e irmão também músicos, Bebé divide seu tempo entre as atividades escolares, esportes e não foge de sua paixão: se dedica de forma intensa às aulas de canto e de teatro.

Aos 11 anos, Bebé Salvego é o nome da vez na cena musical piracicabana - Foto: Amanda Vieira/JP

Aos 11 anos, Bebé Salvego é o nome da vez na cena musical piracicabana – Foto: Amanda Vieira/JP

Além disso, é apaixonada pelo jazz, ritmo que rege suas canções e influencia de modo geral sua carreira. Entre seus ídolos, destacam-se grandes nomes desse estilo musical sobre os quais Bebé estrutura seu repertório com versões adaptadas ao seu tom de voz.

A Arraso bateu um papo com a estrela mirim e descobriu detalhes de sua rotina artística e de sua personalidade repleta de música. Acompanhe os highlights dessa conversa pra lá de especial.

Quando e como a música entrou na sua vida?

Em minha casa sempre há encontros musicais com instrumentistas e cantores dos quais sempre fui fã, como a Lu Garcia, Diego Moraes, Julia Simões, Estela Manfrinato, Eloy Porto Neto, entre muitos outros. Sempre com boa música, de muita qualidade musical, que meu pai e minha mãe deram muita importância. Minha mãe diz que canto desde que comecei a falar.

Ter pai e irmão músicos te influenciou a trilhar os mesmos passos?

Sim, porque sempre os ouvi e meu irmão, além de tocar, canta muito bem. Pra mim foi natural me interessar por cantar e aprender a tocar por conta do dia a dia. Meu pai também tem um estúdio de gravação onde, muitas vezes, eu acompanhava artistas que iam lá, desde pequena.

Quais são os instrumentos que você toca? Com quem você aprendeu?

Estou aprendendo a tocar violão e ukulele com meu pai. O violão toco há mais ou menos dois anos e ukulele há seis meses.

Por que escolheu aprender esses instrumentos? Existe um que é o seu predileto?

Meu pai abriu uma turma pra ensinar violão e as classes eram só de garotas da minha idade. Aos nove anos foi quando me interessei, então a gente estudava juntas e uma amiga ajudava a outra a aprender também nas aulas. Atualmente, estou tocando mais o ukulele.

Rodeada desde cedo pela boa música, a pequena artista aprendeu a tocar violão e ukulele com seu pai, o músico Otiniel Aleixo, mais conhecido como Legal. Seu irmão, Felipe Salvego de Souza, também não escapou da música e é uma das principais influências de Bebé, que conta com o apoio integral de Alessanda Schiavinatto Salvego, sua mãe e produtora musical - Foto: Amanda Vieira/JP

Rodeada desde cedo pela boa música, a pequena artista aprendeu a tocar violão e ukulele com seu pai, o músico Otiniel Aleixo, mais conhecido como Legal. Seu irmão, Felipe Salvego de Souza, também não escapou da música e é uma das principais influências de Bebé, que conta com o apoio integral de Alessanda Schiavinatto Salvego, sua mãe e produtora musical – Foto: Amanda Vieira/JP

Quem são seus ídolos? E suas influências musicais?

Tenho muitos! Meu pai, primeiramente, entre outros: Lu Garcia, Diego Moraes, Julia Simões, Taïs Reganelli, Estela Manfrinato, Badi Assad, Cartola, Djavan, Sarah Vaughan, Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Sarah Lazarus, Meghan Trainor. Minha principal influência é o jazz, estilo musical com o qual, atualmente, mais me identifico, mas também tenho muita influência no choro e MPB.

Você já se apresenta profissionalmente há quanto tempo? Como funciona a escolha do seu repertório?

Acho que estou me profissionalizando aos poucos, tudo é um processo entre minha brincadeira que acabou se tornando compromisso. Há três anos fui chamada para participar de uma turnê pelo Sesc e Sesi com a cantora Taïs Reganeli, da qual sempre fui fã. Também tenho um show infantil chamado Brincadeira Preferida, com o qual nos apresentamos na Virada Cultural Paulista em 2014 e nas festividades do fim do ano aqui em Piracicaba.
Na escolha de repertório, mostro para os meus pais o que estou ouvindo e eles acabam escrevendo a partitura no meu tom, mas tudo é muito natural, sem cobrança de que é preciso tocar “isso ou aquilo”. Geralmente, fazemos nos shows aquilo que mais se adapta à minha voz.

Como você divide seu tempo entre a escola e a música?

Sempre dou prioridade para os estudos escolares e faço de tudo pra não deixar acumular material. Atualmente, tenho me concentrado mais porque a agenda musical tem se tornado maior.

Acho que estou me profissionalizando aos poucos, tudo

é um processo entre minha brincadeira que acabou se tornando compromisso.”

Além de estar envolvida com o universo musical, o que mais gosta de fazer?

Gosto muito de dançar, ir ao cinema, jogar “minecraft”, passear, viajar, essas coisas que todo mundo gosta de fazer.

Como você se imagina daqui a dez anos?

Adoraria trabalhar como cantora e atriz. A música sempre estará presente na minha vida, principalmente o jazz.

Você acha que toda criança deveria ter contato com a música?

Sim. Acho que toda criança deve fazer música, inclusive tocar um instrumento e cantar. A música relaxa, traz muita paz e felicidade

Como você classifica a Bebé antes e depois de se render à cena musical?

Continuo sendo a mesma pessoa, sempre ouvi música, agora apenas com muito mais vontade de cantar e aprender. Procuro ser humilde e respeitar as pessoas e outros estilos musicais.

Adoraria trabalhar como cantora e atriz. A música sempre estará

presente na minha vida, principalmente o jazz.”

E sua mãe, como procura estar envolvida nesse universo musical que faz parte da sua vida e, claro, da vida de sua família?

Minha mãe é tudo pra mim, ela é minha produtora musical e sempre me acompanha e me apoia.

Além da escola, quais são as suas atividades diárias? Você faz aula de canto?

Faço vôlei, handebol, inglês, teatro, natação, jazz (dança), além das aulas de canto com Julia Simões e Estela Manfrinato há um ano.

Qual é seu sonho?

Meu sonho atual é tirar nota boa na prova de geografia.

Tem novidades à vista que já possa nos contar? E futuros projetos?

Estou me preparando para meu primeiro disco com clássicos do jazz, alguns clipes novos que serão produzidos pela Legal Estúdio e pela Vimu’s. Também gravarei para um programa da Globo que, por enquanto, é segredo, mas logo vocês todos saberão.

Publicado em: 12 de setembro de 2015

Adicionado em: Filhos

Deixe uma resposta