A vez do bacalhau: Em época propícia, Fassbier lança festival com diversas receitas tendo o peixe como base

Por Thainara Cabral

Durante o período de quaresma, muitas pessoas escolhem deixar de lado as carnes vermelhas da dieta como penitência religiosa.

Bacalhau Confit leva batatas, brócolis e é servido com purê de mandioquinha (Foto: Amanda Vieira/JP)

Bacalhau Confit leva batatas, brócolis e é servido com purê de mandioquinha (Foto: Amanda Vieira/JP)

Nesses dois meses, os frutos do mar ganham mais destaque e o mais lembrado da época é o tradicional bacalhau. Partindo desse ponto e aproveitando as diversas possibilidades de criação com o peixe, o restaurante Fassbier realiza a 11º edição do Festival do Bacalhau. Já esperada pelo público, a temporada lança um cardápio especial com 15 pratos e seis entradas envolvendo harmonizações de outros ingredientes com o bacalhau. Durante o festival, a casa oferece o rodízio dos pratos às sextas-feiras por um preço único.

O 11º Festival do Bacalhau do Fassbier acontece até o dia 16 de abril, domingo de Páscoa. Especializado na cozinha alemã, o Fassbier muda um pouco de nacionalidade uma vez por ano para preparar a criação do cardápio especial do festival.

Como o evento já ocorre desde 2007, a preocupação da casa é preparar novas criações para para incrementar as opções.

De acordo com o gerente do estabelecimento, Cláudio Gomes, esta edição é inspirada nos pratos do interior de Portugal. “Nossa intenção sempre é trazer coisas novas porque o público precisa de novidades. Neste ano, nos baseamos no interior do país para procurar receitas que não são tão conhecidas no Brasil. Fomos bem a fundo”, contou Gomes.

O gerente contou que a elaboração do cardápio requer a pesquisa de um ano inteiro, sendo que os testes dos pratos tiveram início no final do festival de 2016.

A pesquisa constante de receitas é demonstrada no número de opções. Na primeira edição, o festival contava com seis opções e, atualmente, são 21.

O gerente relatou também que a opinião do público é um fator determinante na escolha das receitas. “Gostamos muito de ouvir os clientes, por isso trabalho muito no salão.

O público está voltado para a culinária, sabe cozinhar, então precisamos ter cuidado com o que ofereceremos, mesmo recebendo dicas. Hoje, cerca de 10% do cardápio vem da indicação dos clientes”, comentou. Para oferecer pratos de qualidade, a escolha dos produtos utilizados é um ponto crucial para o enriquecimento do prato. Por isso, o Fassbier trabalha com o bacalhau do peixe “gadus morhua”. Apesar do bacalhau ser um destaque na cozinha portuguesa, o peixe é trazido da Noruega.

“Não existe o peixe bacalhau. Bacalhau é o processo. O de primeira linha é ‘gadus morhua’, depois vem o bacalhau do ‘macrocephalus’, ‘zarbo’, ‘ling’ e ‘saithe’. São peixes que dá para fazer o bacalhau, mas não são como o ‘morhua’, que é branquinho e tem uma carne mais macia. Ele dá um bacalhau perfeito, que agrada o paladar da maioria”, explicou Gomes.

Bacalhau ao Alentejo tem batatas gratinadas com parmesão e tomates com manjericão, além de pesto de azeitonas pretas (Foto: Amanda Vieira/JP)

Bacalhau ao Alentejo tem
batatas gratinadas com
parmesão e tomates com manjericão, além de pesto de azeitonas pretas (Foto: Amanda Vieira/JP)

Lidar com o bacalhau não é simples, o processo para dessalguá- lo leva de cinco a sete dias. É um trabalho delicado que requer muito cuidado, pois não é um peixe de fácil manuseio por conta da carne macia. Com o bacalhau dessalgado, entra o trabalho de harmonização com os outros ingredientes para compor o prato. Em todas as receitas do festival, o bacalhau é frito em azeite extra virgem, com exceção do Confit, que é cozido a longo prazo.

O Bacalhau Confi t não é uma novidade no cardápio especial, mas retorna devido ao sucesso da oitava edição. Na receita, o lombo de bacalhau é confi tado no azeite com batatas, brócolis e servido com purê de mandioquinha. Duas novidades deste ano são o Bacalhau ao Alentejo e o Bacalhau Póvoa de Varzim, todos criação de Gomes.

No alentejo, o peixe é servido em cima de uma “cama” de batatas gratinadas com parmesão e tomates com manjericão e leva um pesto de azeitonas pretas por cima.

O póvoa tem uma camada de purê de abóbora cabotiá junto do lambo de bacalhau frito e acompanha palmitos gratinados. Além das novidades, o festival conta com o tradicional bolinho, brusquetas, tomates recheados, pastelzinhos, rosti e salada de bacalhau como entradas. Os opções de pratos principais incluem o Bacalhau ao Alho, Bacalhau com Lentilhas, Bacalhau com Purê de Banana da Terra, Bacalhau com Alcachofras e Escondidinho de Bacalhau.

SERVIÇO — 11º Festival do Bacalhau do Fassbier. Até 16 de abril. Segunda-feira, das 11h30 às 15h. De terça a sexta-feira, das 11h30 às 15h e das 17h30 às 23h. Sábado, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h. Domingo, das 11h30 às 16h. Informações 3424-2488.

Publicado em: 13 de março de 2017

Adicionado em: Boa Comida

Deixe uma resposta